Viva bem. Depende de você. Tenha uma vida integral!

Recentemente o Fórum Econômico Mundial divulgou o Ranking de Competitividade Global, e num universo de 137 países ficamos na posição 80, uma posição melhor em relação ao ano anterior, que foi 81. Dentre os critérios avaliados o de melhor desempenho foi -Inovação- quando saltamos da 100ª posição para 85ª, resultado dos movimentos que temos acompanhado na sociedade, o que mostra que quando queremos, e trabalhamos, conseguiremos.  Nos critérios de Eficiência as melhorias foram bem pequenas [mercado de trabalho de 117º para 114º], [mercado de bens de 128º para 122º], [potenciadores de 61º para 60º]. No critério Saúde e Educação Primária melhoramos da posição 99ª para a posição 96ª, mostrando que há um longo caminho e grandes oportunidades para avançarmos aqui.

Sobre este tema Saúde, que impacta de forma direta nos indicadores de eficiência, desejamos voltar e refletir com vocês. Assunto muito presente, objeto de diversos encontros, seminários e debates na busca de saídas para avançarmos mais rápidos nesta questão, merece reflexões contínuas.

Existem alguns pontos em comum nos  debates do tema, dos quais vamos alinhar três:

1. A capacidade dos pagadores/financiadores do sistema está no limite, e caminhos alternativos devem ser encontrados rapidamente;

2. A inflação médica brasileira é  a mais alta do mundo, superando em 2017 dez pontos percentuais acima da inflação oficial;

3. Nós estamos vivendo mais e viveremos mais ainda, trazendo maiores custos/desembolsos para o sistema, seja ele público seja privado.

Uma alternativa de solução passa pela construção de uma aliança entre todos os envolvidos, incluindo cada um de nós  usuários, na utilização racional dos recursos e na redução de desperdícios visíveis e invisíveis, que segundo dados divulgados representa algo em torno de 30%. Outras informações relevantes dão conta de que 70% dos atendimentos em prontos socorros/PAs são desnecessários, e não haveria demanda se melhorássemos o acesso dos usuários nos atendimentos eletivos. E as consultas, exames e intervenções desnecessárias que muitas vezes exigimos do profissional médico? E a fila das segundas-feiras nos postos de atendimentos médicos, seja no serviço público ou privado por conta dos exageros  alimentares que fizemos nos finais de semana?  E a baixa produtividade após os feriados/finais de semana prolongados decorrentes dos excessos na alimentação? Hoje é um deste finais de semana, como anda a sua produtividade?

A indústria tem se movimentado com a sua contribuição para a melhoria na qualidade do que consumimos. Na indústria de alimentos já existem ações concretas para a produção de produtos com menos gorduras, açúcar e sódio. Na indústria de lácteos há um grande esforço para a produção de alimentos saudáveis com menos lactose por exemplo.  O mercado de produtos orgânicos cresce acima de 20% ao ano. Nas grandes cidades as médias e grandes redes de supermercados tem espaços reservados para este tipo de produto, além do crescimento vigoroso de redes especializadas. O mercado tem se mostrado atento a estas questões e certamente o fazem por conta do “empoderamento de parte dos consumidores”, que buscam viver uma vida integral, ou seja entendem que parte da solução para os problemas da saúde dependem menos de médicos, exames e medicamentos, e sim da atitude de respeito que temos pela nossa própria vida.

Não queremos ser considerados -simplistas- nesta discussão. Nós também conhecemos as deficiências dos outros agentes, inclusive de governos com relação à água e saneamento básico por exemplo. Mas o que pretendemos mostrar é que parte da solução está em nossas mãos. Depende essencialmente das nossas atitudes.

Voce já parou para pensar na sua atitude com relação a este tema. E das pessoas que te cercam e que voce é considerado como referência? Certamente teremos muito trabalho para  melhorar a nossa posição no Ranking Mundial de Produtividade, e os nossos Indicadores de Eficiência, mas não temos duvidas de que a nossa contribuição individual fará diferença significativa.

Como anda a sua percepção sobre vida integral?

Forte abraço e uma excelente semana!

Raimundo Sousa
Empresário, mentor e consultor de negócios.